Nunca Me Sonharam

Da redação

82% das crianças e jovens brasileiros de até 19 anos que estão estudando são atendidos pela escola pública. Isso significa que a formação da maior parte do futuro do país depende do sistema público de ensino.

Como, então, mobilizar o imaginário do grande público para a reflexão do valor da educação no Brasil? Como comunicar essa mensagem em um formato e linguagem que atenda a especialistas, educadores e estudantes?

O documentário longa-metragem se propôs a dar luz e mobilizar diversos públicos para a valorização da educação pública brasileira.

A aposta do Instituto Unibanco e da Maria Farinha Filmes para atender a esses desafios foi o documentário longa-metragem Nunca Me Sonharam, que aborda o tema a partir da voz de estudantes, educadores e especialistas espalhados pelo território nacional, expondo seus desafios, expectativas e os sonhos dos jovens.

Entre as estratégias de comunicação utilizadas destacam-se a diversidade nos canais de distribuição, que considerou tanto os meios tradicionais quanto o streaming, a produção de pílulas do filme divididas por temáticas, para divulgação nas redes sociais, e parcerias do setor privado e redes de ensino em dez Estados.

Em menos de 1 ano, o filme foi visto por 290 mil espectadores e exibido em 8 países e 1.200 cidades brasileiras.

Confira o caso na íntegra aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *