Na Ativa

Seja bem-vinda(o)! Reunimos nesta página relatos dos encontros e reuniões da rede. Tem sugestões? Escreve pra gente: contato@narrativas.org.br.

==============================

20/11/2019

RODA DE CONVERSA EM CURITIBA: COMUNICAÇÃO TRANSFORMADORA

Animados para expandir a atuação da Rede Narrativas no Paraná, um grupo de comunicadores apaixonados pelas causas se reuniu no dia 20 de novembro no Teatro Dr. Botica, em Curitiba.

Os participantes Letícia e Gerson, representantes do Instituto Grupo Boticário, Carolina da Irmandade Betânia e Eugênio do Instituto Legado promoveram esse primeiro encontro para sonhar com a formação da Rede Narrativas de Curitiba!

Após um primeiro momento de apresentações, o grupo refletiu sobre alguns desafios que enfrentam no dia a dia com a comunicação de causas, bem como posicionamento, ferramentas de marketing digital e até mesmo consolidação de equipe.

Pensando em promover a rede e os debates acerca da comunicação de causas, os participantes definiram uma agenda 2020 para as Rodas de Conversa na cidade. Os encontros serão os seguintes (sujeito à alteração!):

MARÇO

  • Painel: A comunicação transformadora
  • Oficina: Design Thinking
  • Organizador: Instituto Grupo Boticário

MAIO OU JUNHO

  • Painel: Comunicação de Causas no Ambiente Digital
  • Oficinas: Como construir sua persona e Uso dos canais e ferramentas de marketing digital
  • Organizador: Instituto Legado

AGOSTO

  • Painel: Comunicação e filantropia (advocacy, compliance e a comunicação)
  • Oficinas: Avaliações em comunicação (métricas) e Storytelling
  • Organizador: Irmandade Betânia

As datas, horários, locais e os palestrantes serão confirmados próximo aos eventos.

O grupo acredita que essas iniciativas são apenas o começo de muitas narrativas que serão contadas pelas organizações e seus comunicadores. E com certeza, mais pessoas poderão agregar, compartilhar e também aprender… todos juntos em rede pelas causas!

==============================

14/10/2019

ENCONTRO REÚNE INTEGRANTES DA NARRATIVAS NO RIO DE JANEIRO PARA REFLETIR SOBRE PUBLICIDADE E COMUNICAÇÃO NO TERCEIRO SETOR

O que a publicidade tem a ensinar às comunicadoras e comunicadores do terceiro setor? Esse foi o provocante tema do encontro da rede Narrativas no Rio de Janeiro, que aconteceu na noite do dia 14 de outubro, na sede (linda) da Casa Fluminense, no centro da cidade. Participaram do encontro treze integrantes da Narrativas – profissionais autônomas e integrantes de organizações do terceiro setor – que assistiram à apresentação, trocaram ideias e debateram conceitos e abordagens com o publicitário Hilton Israel, professor na UNICARIOCA, UFF, Cândido Mendes e Instituto Clivo, convidado pelas comunicadoras Julia Tavares e Ana González, da Recode.

O encontro teve duas horas de duração e foi uma oportunidade de diálogo entre dois campos que nem sempre estão muito alinhados: a publicidade e a comunicação de instituições do terceiro setor. “Marca é o espaço que você ocupa na mente de alguém – e é um conceito mais amplo do que o da publicidade em si. Marca é uma percepção, e a construção dessa percepção é o nosso desafio – inclusive o dos comunicadores do terceiro setor. Marcas são sínteses de símbolos e atitudes que estão em constante movimento e mudança, e precisamos renovar os serviços que oferecemos e as expectativas que geramos. O que não regenera, degenera”, afirmou o professor.

Hilton Israel também falou sobre o contexto de comunicação. “A gente planeja a comunicação linear, mas ela é caótica. São diversos meios de comunicação e plataformas gritando pela atenção das pessoas. Vivemos uma escassez de atenção. Uma recomendação é: nada é para todo mundo. Estabeleça o limite do seu público”, disse.

Vale tudo?

O professor também exibiu algumas campanhas publicitárias que usaram a emoção e histórias pessoais para promover marcas – e o assunto provocou polêmica. Um dos vídeos exibidos era uma filmagem amadora que mostrava uma criança extremamente emocionada ao receber de presente dos pais uma viagem à Disney. O encerramento do vídeo trazia a logomarca de um banco, com a mensagem de que os investimentos realizavam sonhos. “Acho que vemos aí uma forte emoção da criança, descontextualizada, e sendo apropriada por um banco que não teve nada a ver com essa emoção”, afirmou uma das participantes. “Me parece que a publicidade muitas vezes usa ferramentas e abordagens que estão em total desacordo com as missões de organizações do terceiro setor. Esse tipo de campanha pode ser vista como manipuladora por nossos pares”. “Acho que temos um desafio que é acabar com o preconceito contra a publicidade, e saber envolver pelas emoções”, respondeu outra participante. “Queremos estar conectados com as missões das nossas organizações e criar sentido, mas sem usar dados pessoais ou ferir direitos humanos do nosso público”, afirmou outra participante.

“Nossas atividades são mais emocionais do que racionais”, afirmou Hilton, justificando a ênfase da publicidade nas emoções. “O problema é apelar para emoções que vulnerabilizam ao invés de explorar emoções que empoderam. Não queremos vulnerabilizar pessoas”, afirmou uma das participantes. “Mas temos dados de grandes organizações que exploram emoções como pena, e tem grande sucesso na captação de recursos e na memória do público”, afirmou outra participante. “Já utilizamos mensagens de empoderamento e emoções positivas, mas não tivemos os resultados esperados”, afirmou outra.

Em outro momento do debate, houve uma breve discussão sobre as mudanças na sociedade e o impacto na leitura sobre as peças publicitárias. Foram citados exemplos de marcas que mudaram seus discursos a partir das lutas populares e mudanças sociais, como o feminismo. O convidado trouxe também a importância da prática da publicidade de ouvir os públicos aos quais dirige suas mensagens, e testá-las, como parte do processo de construção das campanhas. “A comunicação não é uma ciência exata, as pessoas não são facilmente codificáveis”, afirmou o professor Hilton.

Próximo ao encerramento, as participantes trocaram, de forma breve, algumas experiências na realização de campanhas. Participantes que fizeram campanhas inhouse mencionaram como ponto positivo a falta de ruídos, mas apontaram que esse tipo de ação tende a produzir mensagens que ecoam para os mesmos públicos da organização. Já as campanhas com agências precisam ser refeitas muitas vezes, por detalhes no texto ou nas abordagens, mas promovem olhares diferenciados sobre os dados e podem suscitar surpresas positivas.

Ao final do debate, as pessoas presentes levantaram ideias para próximos encontros da Narrativas no Rio de Janeiro, entre eles: ferramentas e plataformas online que possuem versões gratuitas para organizações do terceiro setor, métricas e avaliação de impacto e resultados, presença nas redes sociais, diferentes configurações de equipes de comunicação e relação com profissionais terceirizados, campanhas para advocacy e mudança de hábitos.

Quem estava presente: Larissa Amorim, da Casa Fluminense, Andreia Coutinho Louback, do Instituto Clima e Sociedade, Matheus Zanon, do CEBDS, Renata Saavedra, do Fundo Elas, Julia Tavares, da Recode, Mariana Brito, do ITDP Brasil, Luiza Coimbra, da SITAWI, Mohara Valle, do Instituto Ibirapitanga, Ana Gonzalez, da Recode, Danyelle Fioravanti, da República.org, Vânia Alves, Rosa Maria Mattos e Thaís Schneider, profissionais autônomas.

 

==============================

05/09/2019

LANÇAMENTO DA PUBLICAÇÃO ‘UM CAMINHO PARA A COMUNICAÇÃO ACESSÍVEL’ 

Em evento realizado no Instituto Alana, que reuniu comunicadores da rede, a conversa sobre o material Um caminho para a comunicação acessível (disponível AQUI) se transformou em uma roda de trocas de experiências, aprendizados, dúvidas e reflexões do grupo em relação às práticas de acessibilidade.

O que foi unânime na roda de conversa é a necessidade de sensibilizar e ser tocado pela importância das práticas de acessibilidade, como etapa que faz toda a diferença na implementação de uma nova rotina de trabalho que contemple essas reformulações.

A palavra ‘despertar’ também foi bastante usada no encontro, no sentido de ser fundamental passar pelo momento de compreensão de que a acessibilidade é fundamental. E, seguida à essa sensibilização sobre o tema, o próximo passo inevitável é a pergunta: por onde eu começo?

A publicação é uma das maneiras que o Instituto encontrou de trazer a outros comunicadores as experiências internas sobre as práticas das equipes e, mais do que dizer como algo deve ser feito, apresentar alguns dos caminhos que estão dando certo e abrir mais um espaço para as trocas de um processo que segue sempre em construção.

A relevância do tema se dá num contexto em que as pessoas com deficiência enfrentam barreiras no dia a dia que impedem a participação social, por exemplo, ao se depararem com materiais audiovisuais sem legenda, ao acessarem sites sem texto descritivo para imagens e sem uma organização informacional que permita ao leitor de telas ler o conteúdo de maneira que faça sentido, entre outras situações.

Sobre a publicação

Acesse a versão online para saber mais sobre a trajetória do Instituto Alana na implementação de recursos de acessibilidade nas redes sociais, em sites, em publicações online, vídeos e na organização de eventos presenciais. Este material segue em construção e está sempre aberto a sugestões. Confira aqui.

 

                                                        ==============================

 

16/09/2019

WORKSHOP NO TWITTER PARA COMUNICADORES DE CAUSA

O Twitter organizou no dia 16 de setembro um workshop para mostrar aos comunicadores de causa como extrair o melhor da plataforma. No encontro foi apresentado diferentes técnicas, desde como obter um planejamento eficiente para seu perfil, até estratégias de engajamento. Para acessar o conteúdo completo clique aqui.

 

                                                          ==============================

 

15/08/2019

RODA DE CONVERSA SOBRE STORYTELLING

Estamos num cenário de disputa absurda pela atenção. Nunca tivemos tanto acesso à informação e demos tão pouca atenção às coisas. Entender como contar histórias e aprimorar as narrativas é sempre um desafio e vai ser cada vez mais. Por isso, no dia 15 de agosto, membros da Rede Narrativas se reuniram em uma sala do Unibes Cultural, em São Paulo, para aprender e trocar experiências sobre Storytelling.

O encontro foi dividido em três momentos:  Uma conversa sobre “tudo o que você sempre quis saber sobre storytelling, mas nunca teve coragem de perguntar”;  Discussões dos grupos e apresentação dos vídeos. Veja como foi o desenvolvimento de cada uma dessas etapas, nesse relato aqui. 

Quer organizar uma roda de conversa? Quer discutir um tema com outros comunicadores? A Narrativas criou um documento com algumas dicas e sugestões. Acesse aqui.

.

 

==============================

 

13/06/2019

RODA DE CONVERSA: COMUNICAÇÃO E TRABALHO INFANTIL

O dia 12 de junho é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Tendo em vista a importância da comunicação para a promoção e o fortalecimento do tema, membros da rede Narrativas reuniram-se no dia 11 de junho para conhecer melhor o trabalho da Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil.

A Rede Peteca é uma plataforma que visa a promoção dos direitos da criança e do adolescente e a erradicação do trabalho infantil no país a partir da comunicação. Seu intuito é articular atores estratégicos, engajar a sociedade em torno da questão e influenciar políticas públicas que contribuam para o fim do trabalho infantil.

A roda de conversa sobre a Rede Peteca foi organizada pelo Cidade Escola Aprendiz, um dos parceiros fundadores da Rede Peteca, ao lado do Ministério Público do Trabalho e da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDMCE).

Roberta Tasselli, gestora de comunicação para o desenvolvimento do Aprendiz, liderou a roda de conversa do Narrativas, que reuniu 12 pessoas e aconteceu em São Paulo (SP), na fundação Itaú Social. O bate-papo incluiu uma apresentação de cases voltados à mobilização social, mudança de comportamento, media advocacy e educomunicação.

Além de discutir as práticas e estratégias adotadas nos casos, ressaltou-se a importância da comunicação no combate ao trabalho infantil, tendo papel significativo no processo de sensibilização, incorporação do tema na agenda pública, formação de opinião pública e da não naturalização deste tipo de crime.

Para acessar o conteúdo apresentado no encontro, clique Comunicação e Trabalho Infantil.

 

==============================

06/06/2019

RODA DE CONVERSA: INDICADORES DE MARKETING, MÍDIA, E RELEVÂNCIA

No dia 6 de junho, membros da rede Narrativas se reuniram em São Paulo para uma conversa sobre indicadores de marketing, mídia e relevância. O encontro surgiu a partir de uma provocação no grupo de e-mails da rede: “Como vocês mensuram a relevância de um tema ou de uma marca? Quais ferramentas, metodologias, princípios, pessoas, empresas vocês indicam sobre esse tema?”. A partir dessas questões foi criada uma roda de conversa organizada pelo IEMA, em um espaço cedido pelo Idec. Os cases apresentados você encontra neste link aqui.

Quer organizar uma roda de conversa? Quer discutir um tema com outros comunicadores? A Narrativas criou um documento com algumas dicas e sugestões. Acesse aqui.

==============================

08/02/2019

Novos membros integram o Conselho de Governança do Narrativas

Em fevereiro novos membros foram selecionados para o conselho de governança da rede Narrativas. O grupo tem o objetivo de dar um gás na rede e propor trocas bacanas entre todos e todas.
A escolha levou em consideração não apenas os talentos individuais, mas também uma composição de diferentes perfis, complementares aos que compõem atualmente o grupo.

 Novos membros

André Corrêa
Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor
Andreia Louback
Instituto Clima e Sociedade
Marcelo Douek
Social Docs
Roberta Tasselli 
Cidade Escola Aprendiz
Rosa Maria Mattos
autônoma

 Mandato renovado 

Fernanda Kalena 
Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal
Giovana Bianchi
Grupo de Institutos Fundações e Empresas
Laura Leal
Instituto Alana
Mariana Moraes
Grupo de Institutos Fundações e Empresas
Nathália Rocha
Cause
Sandra Mara Costa
Mc&Pop

==============================

05/09/2018

GT DE CAPTAÇÃO ATUALIZA PLANO PARA SUSTENTABILIDADE DO NARRATIVAS

O GT de Captação se reuniu no dia 5 de setembro para adequar o orçamento de 2019 da rede Narrativas, atendendo às sugestões do Grupo Gestor. Também iniciamos a composição de uma lista de potenciais apoiadores que podem ser abordados pelas/os integrantes dos grupos de trabalho do Narrativas para captarmos a receita necessária para as atividades do ano que vem.

==============================

11/07/2018

Grupo Gestor se reúne para alinhar decisões dos grupos de trabalho

Após os primeiros encontros dos grupos de trabalho, o grupo gestor se reuniu para dar encaminhamento às discussões. Foram abordados tópicos importantes, como a grade de eventos de 2018 e o planejamento de 2019, as atividades para o ano que vem já começaram a ser desenhadas. Trata-se de um importante ponto de partida para a estratégia de captação.

Foi aprovada a proposta feita pelo GT de Formação de instituir uma sistemática para compartilhar com a rede as conversas e decisões tomadas pelos grupos. A sugestão do GT de Conteúdo de criar a seção Na Ativa, no site do Narrativas, dá corpo à ideia.

Entre os encaminhamentos, confirmamos que o próximo encontro da rede será sobre Comunicação Transformadora, com o objetivo de construir coletivamente o entendimento sobre o tema e compartilhar cases que podem ser tomados como referência. Também fechamos uma parceria com o CIVI-CO, que receberá alguns dos principais encontros da rede e contribuirá com conteúdo e planejamento.

Em breve, será divulgada a data do próximo evento.

 

==============================

26/06/2018

GT de Conteúdo discute a criação de uma área institucional

Desde a formação dos grupos de trabalho no primeiro encontro aberto da rede Narrativas, o GT de Conteúdo se reuniu duas vezes. No primeiro encontro, dia 8 de junho, foi abordada questões relacionadas ao site, como a periodicidade de novos conteúdos, a curadoria para divulgá-los com a rede via newsletter, a necessidade de produzir conteúdo próprio e a elaboração de uma planilha editorial para reunir as sugestões.

No segundo encontro, realizado no dia 26 de junho, o grupo conversou sobre a necessidade de um espaço no site dedicado às atividades da rede. Foi então que surgiu essa nova área: Na Ativa. Foi falado também sobre a necessidade de receber sugestões de conteúdos e de agenda dos participantes da rede e como engajá-los.

Participam do GT de Conteúdo: Cristina Camargo (Fundo Direitos Humanos – São Paulo/ SP); Del Ferreira (Opereta – Poá/ SP); Gabriela Soares (Instituto Coca-Cola – Rio de Janeiro/ RJ); Giovana Bianchi (GIFE – São Paulo/ SP); Laura Leal (Alana – São Paulo/ SP); Rafaela Menis (Bradesco – Investimento social e comunicação – Curitiba/ PR); Simone Nascimento (Fundo Direitos Humanos – São Paulo/ SP).

==============================

19/06/2018

GT de Formação faz primeira reunião

Oito pessoas participaram da primeira reunião do Grupo de Trabalho de Formação da rede Narrativas, realizada no dia 19 de junho, na sede da Cidade Escola Aprendiz em São Paulo (SP). A reunião tratou de configurar o grupo de trabalho e iniciar as discussões sobre um plano de formação para os participantes da rede.

O grupo elencou temas de interesse e possíveis modalidades de formação. Eles serão analisados nos próximos meses, à luz de insumos como o mapeamento das expectativas dos participantes da rede. Nesta primeira reunião, contamos com as seguintes presenças: Adriana Franco, Ana Cecília Bruni (Instituto Auá), Anne Galvão (Idec), Luiza Paiva (Social Docs), Nathalia Rocha (Cause), Roberta Tasselli (Cidade Escola Aprendiz), Sandra Mara Costa (Mc&Pop) e Tatiana Klix (Porvir/Inspirare).

==============================

14/06/2018

GT de Captação começa a planejar sustentabilidade da Rede

O Grupo de Trabalho de Captação de Recursos da Rede Narrativas fez sua primeira reunião em junho, na sede do Instituto Ayrton Senna, em São Paulo (SP). O grupo avaliou que será necessária a definição do plano de trabalho da Rede (que atualmente está em construção pelos demais GTs) para então definir as estratégias de captação de recursos.

Um primeiro passo seria estimar o orçamento para um ano de funcionamento da Narrativas, incluindo, por exemplo, a contratação de uma pessoa, por meio período, para contribuir com as articulações. A discussão foi encaminhada ao grupo gestor, que apresentou as principais atividades previstas pelos demais GTs para continuidade dos trabalhos.

Participaram da reunião Anna Beatriz Carvalho (Instituto Ayrton Senna), Débora Borges (Fundo Brasil de Direitos Humanos) e Marcelo Dovek (Social Docs), presencialmente; e Fernanda Nobre (Fundação Tide Setubal) e Cris Fernandes (Instituto Unibanco), virtualmente.

Grupo de Trabalho de Captação de Recursos da rede Narrativas

==============================

12/06/2018

GT de Articulação debate a comunicação entre os membros da rede

O primeiro encontro do GT de Articulação, responsável tanto pela articulação interna (entre os membros da rede) quanto externa (novos membros, parceiros, apoiadores e mídia), reuniu 10 participantes.

Foi proposta a divisão do grupo em dois subgrupos para possibilitar o aprofundamento das discussões e direcionar os esforços onde forem prioritários. O GT permanece como um único grupo, mas com duas frentes de atuação: articulação interna, que priorizará o debate sobre a melhor forma de realizar a comunicação entre os membros da rede e a mobilização externa, que tem o desafio de atrair novos membros, parceiros e apoiadores para a rede.

Participaram: Ana Maria Melo, André Corrêa (Idec), Fernanda Carpegiani, Fernanda Kalena (Agenda Pública), Fernanda Lima, Laura Dauden, Lúcia Menezes (designer), Mariana Moraes (Gife), Nany, Valéria Lapa.

==============================

22/05/2018

Narrativas realiza seu primeiro encontro

Após o lançamento da Narrativas em abril deste ano, o grupo promoveu o primeiro encontro aberto aos interessados em fazer parte da rede, reunindo mais de 70 comunicadores de 46 organizações, no espaço Civi-co, em São Paulo. 

A primeira parte do evento foi destinada à escuta e ao levantamento de expectativas e desafios dos profissionais da área, visando definir em conjunto as estratégias de atuação para 2018. Na sequência, membros da Narrativas contaram sobre a trajetória percorrida pelo grupo até o momento e apresentaram a proposta de criação de quatro Grupos de Trabalho (GTs): conteúdo, articulação, formação e captação de recursos.

A cobertura completa está disponível aqui.

Equipe no primeiro encontro no Civi-co.

==============================

05/04/2018

Rede Narrativas é lançada durante X Congresso GIFE

O lançamento oficial da rede Narrativas foi realizado durante o X Congresso GIFE, evento bianual que reúne investidores sociais de todo o país.

Para marcar o início de uma atuação conjunta, que se propõe a promover transformação social a partir da comunicação, foram realizadas quatro mesas de debate gratuitas sobre temas considerados estratégicos pela rede.

A mesa “Comunicação como centro da mudança” abriu o bloco de comunicação da programação do evento, seguida de outros três debates simultâneos sobre “Mídia, fake news e os riscos à democracia”, “Por que apostar no audiovisual para provocar transformação” e “Desafios da mobilização: como transformar comunicação em ações concretas”.

As mesas estão disponíveis na íntegra no canal do Youtube da rede Narrativas e a matéria de cobertura completa pode ser acessada aqui.

 

==============================

Origem do Narrativas remonta a 2015

A rede Narrativas foi lançada em abril de 2018, mas a ideia da sua criação nasceu em 2015, quando um grupo de profissionais de comunicação brasileiros se reuniu pela primeira vez para participar, nos Estados Unidos, da conferência ComNet. A ComNet é o principal evento de comunicadores de organizações sem fins lucrativos do mundo, ligado a uma rede de profissionais que leva o mesmo nome.

Desde então, as sucessivas participações dos brasileiros no evento serviram de inspiração e motivaram a criação de um comitê para formar uma rede de comunicadores de causas sociais no Brasil. O Narrativas surgiu da evolução das discussões desse grupo.

Ele está aberto a acolher novos comunicadores de organizações de todas as partes do país.

Encontro do grupo de comunicadores que idealizou a criação da Rede Narrativas, no ComNet 2016

==============================