Pimp My Carroça

Por Cristina Fernandes de Souza*

Pimp My Carroça é um projeto de arte social lançado em 2012, em São Paulo (SP), com o objetivo de tirar da invisibilidade os catadores de material reciclável por meio da arte. O nome Pimp My Carroça é uma referência aos programas de televisão norte-americanos que transformam carros, “turbinando-os”, em inglês, “pimped up”, fazendo com que eles fiquem modernos, desejáveis e exclusivos.

É uma iniciativa de um jovem artista do graffiti chamado Mundano, que pintou artisticamente mais de 150 carroças entre 2008 e 2013 em diversas cidades brasileiras e também em outros países da América Latina.

Cristina Fernandes de Souza

Mais do que transformar as carroças em “objeto de arte”, o projeto também oferece aos profissionais acessórios como espelhos retrovisores, cordas e luvas. Além disso, fornece alimentação, consultas médicas e oftalmológicas e, se necessário, com um especialista em drogadição.

Em entrevista ao site Catraca Livre, o artista Mundano explica como surgiu a ideia do projeto. “Eu costumava pintar em paredes etc., e me perguntei: ‘por que não pintar as carroças dos catadores?’. Assim, eu poderia contribuir para melhorar a autoestima deles e dar continuidade ao meu projeto de escrever frases para conscientizar as pessoas sobre questões da cidade”.

Os catadores de materiais recicláveis são muito importantes porque começaram a reciclagem em São Paulo – 90% do material reciclável é coletado por eles, no entanto sua atuação não é sequer conhecida. O projeto é uma maneira de dar mais visibilidade a eles, para que as pessoas valorizem o seu trabalho, interajam com eles nas ruas, deem a eles mais materiais e para que eles possam trabalhar com mais segurança e dignidade.

Para levantar recursos para o projeto, Mundano lançou uma campanha de financiamento coletivo, que foi muito bem-sucedida. Ele levantou o dobro do valor que havia estimado de início.

Oportunamente, com a proximidade da Rio+20 – a Conferência das Nações Unidas pelo Desenvolvimento Sustentável –, o artista tentou pintar o máximo de carroças para ser exibido no mais importante evento de sustentabilidade do mundo. A Rio+20 aconteceu em junho de 2012 no Rio de Janeiro.

Assim, Mundano aproveita de sua posição privilegiada como um artista para falar sobre a população marginalizada dos catadores de materiais. Com o projeto Pimp My Carroça, ele pretende mudar o sentido do objeto “carroça” e, consequente, alterar o sentido do sujeito – os catadores de materiais – por meio de sua arte.

* Cristina Fernandes de Souza é formada em Relações Públicas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), pós-graduada em gestão de marketing de serviços pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e possui mestrado internacional em comunicação para o desenvolvimento social pela Malmö University (Suécia). É analista sênior de comunicação do Instituto Unibanco.

Os estudos de caso publicados nesta seção derivam do trabalho de pesquisa e fundamentação realizado por seus autores e expressam o seu entendimento sobre os assuntos abordados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *