Mini manual do jornalismo humanizado

Um jornalismo essencialmente preconceituoso pode criar vícios e costumes para uma vida inteira. Pensando nisso o Think Olga lançou um manual online, em formato pocket, com regras básicas para evitar erros clássicos na abordagem de notícias relacionadas a grupos minorizados.

Dividido em cinco partes, o Minimanual de Jornalismo Humanizado traz dicas simples e diretas, mostrando como tornar a leitura de notícias uma experiência agradável e respeitosa para pessoas tão diversas quanto a humanidade pode ser.

Acesse aqui a publicação: Estereótipos Nocivos 

“Nem sempre o problema é necessariamente o conteúdo em si da matéria, mas o tratamento dado às mulheres que nela estiverem presentes ou sejam mencionadas.” Foto: Unsplash

Acesse aqui a publicação: Violência contra a mulher

“Se os meios de comunicação colaboram na atenuação de sua reportagem, eles ajudam a alimentar essa realidade. As mudanças aqui sugeridas podem parecer sutis, mas na verdade são cruciais para que esse crime seja descrito noticiosamente de forma mais humana e justa com as vítimas.” Foto: Unsplash

Acesse aqui a publicação:  Pessoas com deficiência

“Comunicar é também representar as pessoas da maneira como elas desejam ser representadas sócio e historicamente, é expressar a defesa dos direitos humanos usando o código de maneira adequada. Então, vamos mostrar alguns exemplos de como a comunicação pode ser a melhor ferramenta para expressar a inclusão.” Foto: Unsplash

Acesse aqui a publicação: LGBT*

“De modo a poder dar uma cobertura digna à população LGBT*, vamos esmiuçar como ela é tratada hoje pelos veículos de comunicação, dando dicas e avaliando erros e acertos.” Photo: Unsplash

Acesse aqui a publicação: Aborto

“Precisa ficar mais do que claro que esta é uma decisão reprodutiva central à vida das mulheres: 500 mil realizam abortos por ano no Brasil. É importante que, enquanto comunicadores, consigamos nos aproximar dessas pessoas e não façamos eco à criminalização, ao preconceito e à tortura psicológica.” Foto: Unsplash

Acesse aqui a publicação: Jornalismo Esportivo

“Além de terem bem menos espaço do que os homens na mídia tradicional, as atletas ainda precisam disputar manchetes com matérias que destacam seus atributos físicos, sexualizam seus corpos a abordam temas que fogem às questões esportivas.” Photo: Unsplash

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *